Loading...

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Como criar mudas de Bonsai.

 Existem várias formas de se retirar mudas para Bonsai.
Veja aqui algumas das mais comuns...


MISHO
O método de cultivo do bonsai a partir de sementes é conhecido em japonês pelo nome misho. Consiste no seguinte. Uma vez que você tenha escolhido a espécie que deseja cultivar, plante a semente, observe o crescimento do broto e, em seguida, eduque a planta com cuidado no estilo de bonsai desejado.
Este método requer tempo e paciência, mas é muito prazeroso. Por meio dele, você acompanha o processo passo a passo.
De certa forma, todas as plantas que brotam espontaneamente nas montanhas e nos campos são misho. Contudo, a designação misho é mais comumente utilizada para o plantio de sementes em terra especialmente preparada, de modo que se possa manter um controle do desenvolvimento da planta em seus vários estágios.
TIPOS DE MISHO
Com raras exceções, é sempre possível cultivar quase todas as espécies de plantas a partir de sementes. As espécies mais populares no Japão são as árvores sempre-verdes (que não apresentam folhas caducas), como o abeto, o pinheiro-japonês branco, preto e vermelho e algumas árvores de folhas caducas, como a faia-branca e o bordo.
CARACTERÍSTICAS E CULTIVO
Como o bonsai misho cresce a partir de uma semente, seu cultivo, naturalmente, requer que se dê à planta as condições exigidas pela espécie. Em todo o caso, dependendo da qualidade da semente, poderá haver alguma variação na qualidade do bonsai.
A época adequada para plantar sementes é no fim da estação chuvosa. Ou, eventualmente, na primavera. As sementes de árvores sempre-verdes levam, geralmente, de dois a três meses para brotar. As de folhas caducas um pouco menos: de um a dois meses.
Com a brotação costuma surgir duas folhas embrionárias, chamadas cotilédones, cuja função é nutrir a jovem planta. Só depois é que surgirão as folhas verdadeiras.
Quando as plantas novas estiverem suficientemente fortes, deverão passar por uma seleção e as melhores, então, serão replantadas individualmente.
No método misho, o seu bonsai começará a tomar forma em, aproximadamente, cinco anos. Você criará um belíssimo bonsai dessas plantinhas, se podá-las e educá-las com cuidado durante os anos que se seguirão.
PROCEDIMENTOS PARA O PLANTIO
Vamos tomar o pinheiro-japonês como exemplo, para descrever o procedimento de plantio do misho. Todavia, qualquer que seja a espécie escolhida, as sementes deverão permanecer imersas em água durante toda a noite anterior ao plantio. Se você colocar as sementes numa tigela com água, poderá determinar-lhes, inclusive, a fertilidade. As sementes férteis irão afundar, enquanto as “mortas” vão flutuar. É quase infalível.
COMO PLANTAR
1 – Para preparar a sementeira, escolha um vaso ou caixa de madeira, com aproximadamente 15 centímetros de profundidade, que tenha um orifício no fundo para drenagem. Esse orifício deve ser coberto com uma tela de náilon, não muito fina, para melhorar a drenagem e impedir a perda de terra.
2 – Prenda a tela ao vaso com um arame grosso, dobrando-o para fora.
3 – Cubra o fundo do vaso – ¼ de sua profundidade – com terra grossa, de preferência grânulos de cascalho vermelho. Não coloque adubo.
4 – Faça uma camada seguinte com o mesmo tipo de terra, porém peneirada, até mais ou menos a metade do vaso. Mais uma vez, o fertilizante não deve ser usado.
5 – Coloque as sementes nessa camada de terra, separadas mais ou menos uns 4 centímetros umas das outras. Cubra-as com uma camada de uns 2 centímetros de terra fina, ou pouco menos.
6 – Regue bem a terra, mas não tanto que encharque o vaso.
CUIDADOS COM A LOCALIZAÇAO DA SEMENTEIRA
O vaso-sementeira deve ser colocado em local plano, ensolarado e protegido do vento. Deve ser regado regularmente e limpo, quando necessário. Quando os brotos aparecerem, tome cuidado para protegê-los contra insetos. Mas só quando contarem uns três meses de idade, coloque uma pequena quantidade de fertilizante liquido na sementeira. Farelos de linhaça, colza ou mamona, também podem ser usados.
CUIDADOS POSTERIORES
1 – No final de um ano, os brotos das sementes de pinheiro-japonês deverão atingir entre 5 e 7 centímetros. Mas, ao término do segundo ano, eles estarão só um pouco maiores – talvez uns 10 cm. Em contrapartida, terão mais folhas e o cale se apresentará mais grosso.
2 – Só então, ao fim do segundo ano, deverão ser transplantados e replantados individualmente. E fique de olho nas mudanças que ocorrem num bonsai no quarto, sexto, oitavo e décimo ano.

YAMADORE
  As mudas colhidas na natureza são denominadas yamadori. Essas mudas de árvores, quando transformadas em bonsai, são chamadas yamadori-shitate. O cultivo de bonsai desse tipo dará muito prazer a você, assim como será uma lembrança constante dos seus passeios. Além disso, este método requer menos tempo para obtenção dos resultados finais. Outra vantagem do método yamadori, é que você tem a oportunidade de ver as árvores-mães, o que lhe dará uma idéia melhor da forma a dar ao seu bonsai.
ÉPOCA PARA COLHER
A primavera, ou o início do verão, é a melhor época para colher, na natureza, mudas para bonsai. É quando os brotos surgem e as árvores estão viçosas. Por isso, mesmo uma muda de árvore com uma raiz pequena, se plantada nessa época, crescerá adequadamente.
COMO RETIRAR AS PLANTAS
Tome muito cuidado na hora de arrancar as mudas, para que as raízes permaneçam intactas. Nunca tente puxá-las diretamente da terra. O procedimento correto é retirá-las com um torrão, de forma que a maioria das raízes fiquem intocadas e cobertas com a terra onde está plantada.
Para que não sequem, as raízes nuas devem ser cobertas com musgo ou algodão úmido. E já umedecidas, devem ser envolvidas em papel grosso ou plástico, para serem transportadas para casa.
COMO PLANTAR
Vamos tomar o abeto como exemplo, para descrever o procedimento correto de plantio de uma muda de árvore colhida na natureza. A árvore nova, colhida recentemente e preparada para o transporte é denominado araki.
1 – Prepare um vaso – não esmaltado – de tamanho adequado. Um vaso de diâmetro equivalente a 1/3 da altura da muda seria o ideal. Tape o orifício de drenagem com uma tela e cubra o fundo com terra grossa e encaroçada. Cerca de ¼ do vaso deve ser coberto com essa terra grossa. Depois, acrescente mais um pouco da mesma terra, só que peneirada, até aproximadamente a metade da altura do vaso.
2 – Desamarre as raízes da sua mudinha e, cuidadosamente, quebre o torrão e remova o musgo ou algodão das raízes.
3 – Uma vez que a muda da árvore foi retirada da terra, os galhos devem ser podados na proporção do volume das raízes. A poda deve ser feita com tesoura bem afiada e muito cuidadosamente, de modo a não prejudicar a forma que se dar ao futuro bonsai. Comece por podar as raízes secas ou danificadas. E faça o mesmo, em seguida, com os galhos em igual situação. Terminada a chamada poda de limpeza, observe a proporção do volume de raízes em relação aos galhos. Se sobrarem muitas raízes, talvez nem seja necessário podar alguns galhos. Mas se as raízes forem poucas, certamente serão necessárias podas na parte aérea da planta, para que raízes e galhos fiquem com volume aproximado. Geralmente, a proporção dos galhos em relação às raízes é de seis galhos para cada quatro raízes.
4 – Acomode as raízes da muda no vaso e acrescente, gradualmente, mais e mais terra, procurando socá-la levemente com os dedos, para que envolva bem todos os lados das raízes.
5 – Encha o vaso com terra suficiente para cobrir as raízes, mas preste atenção para não ultrapassar a altura do vaso. Se a terra ficar acima das bordas, ela irá escorrer quando você regar o vaso.
6 – Pressione levemente a terra com os dedos. Não use pauzinhos ou cabos de ferramentas para isso, sob pena de vir a danificar as raízes menores. Tenha cuidado, alias, para não pressionar a terra com muita força.
7 – espalhe uma camada fina de musgo na superfície da terra, para assegurar melhores condições de umidade.
8 – Depois que a muda for plantada, talvez ela precise ser amarrada ao vaso com um barbante, ou tutorada de alguma outra forma, para não mudar de posição. É que árvores recentemente plantadas, não costumam ter raízes suficientes para mantê-las no mesmo lugar. Essa maneira artificial de prender as árvores é conhecida, em japonês, pelo nome tsuri-o-toru (contrapeso). Uma vez que a árvore esteja bem tutorada, ela permanecerá de pé, mesmo contra o vento, e as raízes se desenvolverão mais facilmente. Como as raízes levarão aproximadamente seis meses para se fixarem, a árvore deve permanecer amarrada, no mínimo, durante todo esse tempo. Finalmente, a terra e a árvore são regadas. A terra deve ser irrigada primeiro e depois toda a árvore, da copa para baixo.
CUIDADOS POSTERIORES
As árvores recentemente plantadas devem ser colocadas à meia-sombra, ao abrigo dos raios diretos do sol e do vento. Como este é o estagio de crescimento de raízes novas, as mudas devem ser regadas, nos três primeiros meses, duas vezes por dia. Mas atente para o seguinte: não molhe a terra demais. Regue apenas o suficiente para umedecer a terra levemente.
OBSERVAÇÃO FINAL
Embora seja muito gratificante, você não precisa necessariamente colher mudas no bosque para fazer seu bonsai. Se desejar, pode adquirir mudas já formadas de viveiristas. Neste caso, o passo a passo do plantio e cuidados posteriores devem ser os mesmos que vimos.

SASHIKI
MUDAS POR ESTACAS
A preparação de mudas para o bonsai, por estacas de galho, é conhecida pelo nome de sashiki. Esse método requer menos tempo do que o cultivo do bonsai por sementes. Ele também permite que você visualize melhor, por antecipação, o resultado final.
TIPOS DE MUDAS
Estacas para mudas de bonsai podem ser retiradas de quase todos os tipos de árvores e arbustos. Algumas das espécies mais resistentes e interessantes estão listadas a seguir.
SEMPRE-VERDES: bordo, junípero, cipreste-japonês, gardênia, cítricos, piracanta e azaléia, por exemplo.
FOLHAS CADUCAS: jasmim-de-inverno, marmeleiro-florífero, cerejeira, pessegueiro, romãzeira, amoreira e murta-crepe, entre outras.
COMO ESCOLHER
Geralmente, as mudas são retiradas de um bonsai crescido, mas podem, é claro também ser retiradas de plantas criadas ao natural. De qualquer forma, antes de mais nada, certifique-se de considerar a forma final desejada para o bonsai. É importante que os galhos escolhidos para se transformar em mudas sejam pequenos. As mudas deste tipo desenvolverão raízes mais rapidamente e crescerão mais depressa. Se as mudas forem retiradas de plantas de folhas caducas (deciduifólias) quando estiverem desfolhadas, dê preferência às pontas de galhos visivelmente fortes.
ÉPOCA CERTA
Em geral, a melhor época é no começo da primavera, antes que novos brotos apareçam. Algumas espécies de marmeleiros-floríferos “pegam” melhor em meados de março, enquanto outras espécies são tão fortes e vigorosas que suas mudas podem ser plantadas em qualquer época do ano.
A ESCOLHA
As mudas devem – sempre – ser retiradas de galhos fortes e saudáveis, que estejam completamente cheios de folhas. Devem ser cortadas do galho principal com tesoura afiada e nunca lascadas com a mão. Devem medir de 1 a 5 centímetros de comprimento e, de cerca de ¾ de sua altura, devem ser retiradas todas as folhas. As folhas restantes devem ser cortadas pela metade. Isso é feito para reduzir a evaporação e ajudar a circulação da água.
1 – Corte a extremidade inferior da muda em ângulos, formando uma ponta o mais afiada possível. Esses cortes são feitos logo abaixo do nó de uma folha. Isso facilita, sobremaneira, a absorção de umidade e evita o apodrecimento. Do mesmo modo, estimula o crescimento das novas raízes de maneira uniforme. Algumas pessoas gostam de usar hormônio enraizador para estimular o crescimento. Pode ser interessante, mas não é essencial.
2 – Para plantar, prefira um vaso de barro poroso, não esmaltado, de uns 12 a 15 centímetros de altura. Certifique-se de que seja furado. No fundo do vaso instale uma tela de náilon ou uma camada de pedregulho para facilitar a drenagem.
3 – Como substrato, use terra vermelha, do tipo mais grossa e, preferivelmente, esterilizada, já que não deve conter bactérias, adubos ou sementes de outras plantas. Peneire a terra, para separar as partículas finas das grossas.
4 – Com as partículas grossas da terra (as que ficaram na peneira), encha o vaso até 1/3 da sua altura.
5 – Acabe de encher o vaso com a terra restante.
6 – Plante as mudas, enfiando as pontas cortadas diagonalmente na camada superior do solo do seu vaso. Empurre 2/3 do caule da muda na terra. Deixe espaço suficiente entre cada muda, de modo que as folhas não se toquem. Cuide para não enterrar nenhuma folha.
7 – Regue bem, com um regador de crivo fino, tomando cuidado para que a queda da água não derrube as mudinhas. Irrigue até ver que a água sai pelo orifício de drenagem.
OUTROS CUIDADOS
1 – Depois de plantar as mudas, coloque o vaso numa superfície plana, à meia-sombra, em local protegido da luz direta do sol e do vento forte.
2 – Regue, moderadamente, várias vezes por dia. Tente manter as folhas constantemente umedecidas. À noite, o vaso deve ser colocado em local onde possa tomar sereno.
3 – Após duas semanas de plantio, o vaso deve, pela manhã, ser colocado ao sol por algumas horas. Vá aumentando o tempo de exposição solar gradualmente.
4 – Depois de um ou dois meses, novas raízes já começarão a crescer no vaso, finalmente, poderá ser colocado do lado de fora da casa ou apartamento.
5 – Seis meses após o plantio, seria recomendável fazer uma pequena adubação com fertilizante líquido.
COMO REPLANTAR
As mudas são geralmente replantadas quando estão com um ano de idade. Estarão, então, medindo quase 20 centímetros de altura. É hora de começar efetivamente o bonsai. Os procedimentos para replante estão resumidos a seguir.
1 – Prepare um vaso pequeno, de aproximadamente 10 centímetros de diâmetro, e preencha cerca de ¼ do vaso com pequenos caroços de terra.
2 – Escolha a muda e retire-a cuidadosamente do vaso onde estava. Depois, corte pela metade a raiz principal e as outras raízes mais fortes. Isso se faz para permitir que as raízes fracas tornem-se fortes, dando um equilíbrio maior a todo o raizame.
3 – instale a muda no meio do novo vaso e complete a terra.

TSUGIKI
O MÉTODO DA ENXERTIA
A enxertia é o método mais usado quando se quer preservar espécies puras – ou raras – para fins de bonsai. Dois componentes principais entram no processo. O enxerto propriamente dito, que é conhecido por “cavaleiro”, e a planta que será enxertada, conhecida por “cavalo”. Na maioria dos casos, o “cavaleiro” é feito de espécies puras ou raras, e a planta “cavalo” é uma versão silvestre ou mais rústica da mesma espécie de planta. Repetindo: é princípio básico que a planta “cavalo” seja da mesma espécie do “cavaleiro”.
MÉTODOS DE ENXERTO
Existem dois métodos principais: o enxerto de copa e o enxerto lateral.
No enxerto lateral, o “cavaleiro” é enxertado na planta “cavalo” perto das raízes. Assim, depois que o enxerto pega, a parte aérea da planta “cavalo” é cortada, dando margem a que o “cavaleiro” se desenvolva usando o sistema radicular da outra planta.
No enxerto de copa, a planta “cavalo” é fendida numa certa altura e aí é inserido o “cavaleiro”. O enxerto usará, portanto, no futuro, não apenas as raízes, mas também outras partes da planta “cavalo”.
O enxerto lateral é geralmente usado para plantas sempre-verdes. E o enxerto de copa para as deciduifólias, ou plantas de folhas caducas. Contudo, algumas árvores de folhas caducas também podem, com sucesso, ser enxertadas através do método lateral.
Outros dois métodos, o yobi-tsugi e o metsugi são usados quando queremos acrescentar um galho ou ramo extra ao tronco de uma árvore bonsai.
A DESVANTAGEM DOS ENXERTOS
Uma das maiores desvantagens do enxerto, no passado, era a cicatriz feia formada pela junção do “cavaleiro” com o “cavalo”. Entretanto, com o desenvolvimento de novas técnicas, esse inconveniente – que fazia enxerto parecer inadequado para bonsai – foi amplamente superado.
ÉPOCA PARA O ENXERTO
O enxerto, tanto para as árvores sempre-verdes como para as de folhas caducas, é melhor sucedido quando feito na primavera, imediatamente após os brotos novos aparecerem. Mas, as plantas sempre-verdes também podem ser enxertadas no inicio do outono, entre meados de março e abril.
O ENXERTO LATERAL
Vamos tomar como exemplo o enxerto de um pinheiro-branco-japonês (Pinus strobus), num pinheiro-preto-japonês (Callistris Calcarata), de três anos de idade, cultivado a partir de sementes e que funcionará como “cavalo”. E isso porque, em geral, uma árvore de aproximadamente 18 centímetros de altura é mais fácil de ser manipulada, funcionando melhor como “cavalo”.
1 – No início da primavera, antes dos brotos tornarem-se ativos, faça sei “cavaleiro”. Para isso, corte um galho de um pinheiro-branco, de modo que ele fique com uns 5 centímetros de comprimento.
2 – Com um estilete afiado, faça delicadamente a ponta do “cavaleiro” em duplo bisel.
3 – Agora, também com um estilete, faça um corte angular na base do tronco do “cavalo”. Tome cuidado para o corte não se aprofundar demais. Ele não deveria exceder cerca de um 1/3 do diâmetro do tronco.
4 – Insira a ponta do “cavaleiro confortavelmente no corte. A resina do “cavaleiro” e do “cavalo”, depois de um certo tempo, acabará juntando os dois. Por isso, toda a operação de ser feita o mais rapidamente possível, para evitar ao máximo a perda de seiva.
5 – Depois de inserir o “cavaleiro”, reforce a junção, amarrando as duas partes com uma fina fita plástica.
6 – Plante o “cavalo”, agora com o “cavaleiro” ligado a ele, num vaso pequeno, da mesma maneira descrita para o replantio de uma muda de um ano de idade. Isto é: primeiro encha 1/3 do vaso com terra encaroçada, depois fixe a árvore no centro do vaso e preencha ao redor com terra. Regue, ao final, até que a água escorra pelo orifício de drenagem.
CUIDADOS A SEREM TOMADOS
Depois da árvore “cavalo” ser plantada, mantenha-a dentro de casa, longe do sol e do vento, ate que os brotos tornem-se ativos. Em geral, leva dois meses até que os brotos do “cavaleiro” comecem a mostrar vitalidade. A fita plástica, de junção, deve permanecer pelo menos um ano, até que o “cavaleiro” torne-se realmente, parte do “cavalo”.
Após um ano, se o enxerto tiver pegado, a fita deverá ser removida e o “cavalo” poderá ser cortado acima do ponto de enxertia. A planta será, então cultivada normalmente e começará a tomar a forma de bonsai cerca de dois anos depois.
ENXERTO DE COPA
Como exemplo de enxerto de copa, vamos fazer nosso “cavaleiro” de um azevinho variegata (Ilex x altacharensis) e nosso “cavalo” de um tipo de azevinho comum (Ilex aqui folium).
1 – Quando os brotos começarem a aparecer, mas ainda continuarem inativos, corte um “cavaleiro” com 5 centímetros de comprimento do azevinho variegata.
2 – Apare a extremidade inferior do “cavaleiro” em forma angular (duplo bisel).
3 – Escolha uma muda de azevinho comum, que tenha o caule da espessura de um lápis. Tire-o da terra, procurando deixar as raízes intactas. Pode a parte superior da mudinha cerca de 5 centímetros acima das raízes.
4 – Com um estilete afiado, faça uma fenda, de menos de um centímetro, na parte de cima do “cavalo”.
5 – Insira a ponta do “cavaleiro” na fenda que você fez no “cavalo”. Como a resina que escorre das duas plantas é que vai unir os dois, faça toda a operação o mais rapidamente possível.
6 – Fixe a junção, amarrando-a bem com uma fita de ráfia.
7 – Agora, é só plantar o “cavalo” num vaso, da mesma maneira descrita no método de enxerto lateral.
CUIDADOS A SEREM TOMADOS
Os cuidados a serem tomados após o plantio são os mesmos adotados nos enxertos laterais. Depois de um ano, retire a fita de ráfia e verifique se a cicatrização ocorreu satisfatoriamente. O “cavaleiro” e o “cavalo”, então, devem ser quase uma planta só. Se o corte não estiver completamente fechado, amarre nova fita de ráfia e deixe por mais um ano. Após dois anos, o crescimento do “cavaleiro” começa a tornar-se perceptível e, depois de três, a planta começa a tomar a forma de bonsai. Quatro anos após o enxerto a junção será muito menos visível, e a forma de bonsai mais acentuada.
ENXERTO YOBI-TSUGI
No método de enxerto por encosto – yobi-tsugi –, no ponto de enxertia, a casca da árvore- mãe, que funciona como “cavalo”, deve ser retirada. É nesse local que se faz o “encosto” da base d um outro ramo-cavaleiro, unindo-se os dois firmemente com fita plástica. São três as formas de aplicação desse método:
1 – Enxerto de um galho comprido no tronco da mesma árvore.
2 – A junção de, digamos, três arvores que cresceram em vasos separados.
3 – O enxerto de um galho de uma árvore natural numa outra cultivada em vaso.
ENXERTO ME-TSUGI
O me-tsugi, ou enxerto de broto, é executado mediante uma incisão, em forma de T, feita no tronco ou galho de uma árvore. Depois, implanta-se aí um broto preparado, prendendo-o no lugar com fita plástica. Sendo bem tratado, esse novo broto, mais tarde, se transformará num galho.
O passo a passo, é o seguinte:
1 – Com a ponta de um estilete bem afiado, faça um corte, em forma de T, no tronco ou galho de uma árvore.
2 – Prepare o broto, tomando o cuidado de, ao removê-lo, trazer junto o córtex interno da planta-mãe.
3 – Faça várias incisões verticais na base do broto, de modo que possa transformá-la numa espécie de leque.
4 – Com a ponta de um estilete, levante o córtex do “cavalo”, no local em que você fez a incisão em forma de T.
5 – Implante o broto preparado nessa abertura, procurando espalhar “o leque” em que foi transformada sua base.
6 – Feche o córtex do “cavalo” e amarre “cavalo” e “cavaleiro” com fita plástica. Daí a mais ou menos um ano, o implante deverá estar consolidado, e você poderá então retirar as amarras.  

6 comentários:

vou tentar cultivar uma muda. obrigada.

Preciosas informações, muito minuciosas e claras. Adorei o texto, me ajudou bastante a escolher uma forma para começar a cultivar um bonsai. Acho interessante testar nossa paciência por tantos anos, é um presente que nos damos ao conseguir. Comprei sementes de cerejeira japonesa, vou tentar. Qualquer resultado positivo será muito bem-vindo.
Obrigada pelas informações.
Abraço.

Irei tentar vou cultivar uma muda de alixia! grata pela informação.

Perfeito esta descrição, adorei vou fazer uma de azaléia por muda de estaca e vou comprar uma de jabiticaba.
Valeu pela explicação!

Obrigado pelas informações,adoro saber das coisas desejo aprender a plantar bonsai comprei um e quero saber como posso fazer novos pezinhos partindo deste que comprei é possível?

Com estas informações sera bem mais fácil manter meu bonsai sempre bonito.
Obrigada!

Postar um comentário